MENU DE CUIDADOS

Cuidado com os Raios!

       Raios são fenômenos atmosféricos caracterizados pela formação de correntes elétricas com milhões de volts de potencial e que atingem a superfície causando prejuízos materiais e mesmo mortes. Normalmente, a temporada de temporais tem início em Setembro e vai até Março. Aos primeiros sinais de um temporal, planeje o que fazer no caso de ocorrência das descargas elétricas

      Você pode estimar a distância de incidência dos raios usando o método chamado “flash-to-bang” ou “relâmpago-trovão”. Contando os segundos entre o “clarão” do raio e o trovão que você ouve e multiplicando por 300 tem-se a distância em metros do local onde ocorreu a descarga.
Assim, se você vir o clarão e contar até 8, por exemplo, significa que o raio “caiu” a 2400 metros do local onde você se encontra.

      A possibilidade de você ser atingido por um raio em um temporal inicia-se meia hora antes e continua até cerca de meia hora após sua atividade máxima. Mantenha-se protegido nesse tempo. O raio nunca avisa onde vai “cair”. A melhor proteção é se prevenir com antecedência. Se você vir o primeiro clarão, contar cerca de 30 segundos e depois ver outro clarão e contar menos que 30 segundos, já é hora de se prevenir, procurando abrigo nas proximidades, pois, o temporal vem em sua direção. Isso porque, normalmente um raio pode “escapar” do centro de atividade da nuvem e atingir áreas a longas distâncias.

     Durante os temporais evite aglomeração de pessoas mantendo pelo menos uma distância de 5 metros uma da outra. Se você estiver em locais abertos como campo de futebol, piscina, etc. Aos primeiros sinais de um temporal abandone imediatamente o local, procurando abrigo em prédios. Nunca seja o ponto mais alto da redondeza. O raio procura sempre os pontos que se sobressaem da superfície como atrativo à descarga. Caso você esteja em um local descampado, abaixe-se com os joelhos dobrados e as mãos na nuca procurando tampar os ouvidos.

     Nunca procure abrigo sob árvores isoladas ou prédios rústicos como aqueles de proteção para animais, existentes em pastagens. Externamente, nunca fique perto de cercas metálicas ou superfícies que conduzam eletricidade. Se você estiver no alto de um morro, desça para o ponto mais baixo do terreno. Um capão de árvore nas baixadas é uma boa proteção. Prédios de concreto com fiação elétrica, canalizações de água ou de outro tipo constituem-se em excelente proteção contra as descargas.

    Se você estiver dentro de casa ou de qualquer prédio, retire os “plugs” dos aparelhos elétricos das tomadas, não use telefone ou outros equipamentos elétricos. Fique longe de tomadas de força ou de superfície metálicas.

    Se você estiver em uma estrada ou na rua, a melhor proteção existente é dentro do veículo com os vidros fechados. Não são os pneus que promovem a proteção mas sim um fenômeno da física chamado Gaiola de Faraday.

    Você pode ser atingido não somente pelo raio diretamente como também por “faíscas” refletidas por objetos da proximidade.

    Caso esteja pescando, observe atentamente as seguintes orientações:

    1 - Varas de fibra de carbono são verdadeiros pára-raios em suas mãos, portanto, coloque as deitadas no barco ou no chão. Se possível, mantenha-se um pouco afastado delas.

    2 - Em costões ou mesmo na praia ou margens de rios, mantenha-se sentado ou agachado enquanto durar a fase mais violenta do temporal. Nunca se arrisque fazendo arremessos enquanto estiver em tempestade magnética, pois, o deslocamento da vara e do conjunto de pesca aumentam seu poder de atração.

    3 - Em rios, procure levar o seu barco para uma margem de preferência descampada e com vegetação baixa. Afaste-se daquelas árvores que ficam bem na beira como se fossem cair.

    4 - Melhora um pouco sua segurança estar com um calçado de solado de borracha, principalmente se estiver molhado.

    5 - Retire o motor elétrico do barco e coloque-o deitado no fundo do barco. Motores elétricos são geradores de campos magnéticos.

    A probabilidade de uma pessoa ser atingida por um raio durante uma pescaria é bem pequena, entretanto, existe. Assim sendo, não custa evitar um acidente grave e uma grande tristeza prestando um pouco de atenção às dicas que levamos a você.

     Poucas são as chances de se escapar de uma descarga elétrica que nos atinja, ou melhor, em 98,3% dos casos o resultado é letal.

Fonte: Gazeta da Pesca - Edição nº 40 - Julho/2001